sexta-feira, 8 de maio de 2009

One more dream.

Não sei se é só comigo, mas uma coisa que me acontece com alguma frequencia em semanas como esta, em que a sobriedade é um mito, é que na altura de dormir sonho muito. Sonhos que parecem estupidamente reais. E, por outro lado, quando acordada fico com dificuldade em saber se estou só com uma grande bebedeira em cima e está tudo realmente a acontecer, ou se vou acordar a qualquer momento e ver que tenho de me despachar para mais um jantar.
Mais uma vez, a realidade e a utopia sao separadas por uma fina linha que por vezes nao consigo distinguir.

E eis que me apareces tu. Entras de rompante no meu sonho. Estremeces o meu ser por dentro e por fora, fugido daquela caixa guardada no sitio mais escondido, que havia jurado nunca mais abrir, mas que secretamente abria para aniquilar saudades (ou para as alimentar :x ). E desapareceste!
Os poucos minutos deste 'confronto' foram os suficientes para trazer à superfície meses e meses de vivências, de encontros, de sensações que tinham sido trancadas a sete chaves.
A pele arrepiada, as pernas que insistiam em não parar de tremer, os olhos que ardiam, a saudade... a confusão.

Era o meu sonho, e por isso decidi que te ia voltar a ver. Entre as trocas de elogios e os batimentos fortes dentro do peito, o teu toque era o mesmo. Ainda eras tu, tinha a certeza!!! O perfume que tantas e tantas vezes se alojou na minha pele... era capaz de o distinguir em qualquer lado, de olhos fechados sem precisar de te ver. As conversas pela noite dentro, as borboletas na barriga, aquela vontade de parar o relógio por tempo indefinido.....

Acordei! Desapareceste outra vez, e o 'até quando?' é uma incógnita. As marcas da tua presença ficaram.
Cada um continua no seu caminho, com a certeza que nos voltaremos a cruzar.
O bom disto é que 'recordar é viver' :)

1 comentário:

Sara disse...

Não percebi um cu deste post...