segunda-feira, 30 de novembro de 2009

M U S E















Esta foi a melhor foto que consegui tirar! Só para dar um cheirinho daquele que foi um GRANDE e ESPETACULAR concerto!! :'D
Indescritível!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Acceptance (?)

"There are five stages of grief. They look different on all of us, but there are always five:
Denial. Anger. Bargaining. Depression. Acceptance."

Sem querer dei por mim a tentar encontrar-te noutras pessoas. Tentei procurar quem preenchesse o vazio da tua ausência, ou que me abstraísse dele. Que grande parvoíce! É o querer à força arrancar-te do meu peito.... mas provavelmente tenho mesmo de deixar o tempo encarregar-se disso. Forçar não leva a nada...
Vou tentar arrumar tudo o que te pertence numa gaveta, ignorar o que (ainda) me fazes sentir, e viver... deixar de procurar em cada rosto os teus olhos, o teu sorriso, a tua maneira de ser. Deixar de dormir agarrada à almofada e relembrar as noites em que a almofada eras tu. Fingir que esqueci o teu cheiro, e que ele não faz falta na minha pele.



"Mas a saudade mais dolorida
é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida"

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Tudo passa, é só uma questão de tempo!

Tantas e tantas vezes me vi obrigada a dizer Adeus. Dizem que o hábito faz o monge, mas não me sinto suficientemente habituada para conseguir afirmar que agora já não custa. Parece que custa sempre... E por mais que seja a crónica de um Adeus anunciado à partida, toda e qualquer preparação psicológica se torna infrutífera, vã, estéril, quando chega A Hora.
Dói ter que afirmar com toda a determinação do mundo que é uma despedida consentida (e até impelida), quando na verdade a minha mão quer não larga a tua, quando os meus olhos ardem com a ansiedade de (não) te querer ver contornar aquela esquina, que será a confirmação de que não vais voltar... de que não te vou deixar voltar!
Dói ter que calar o grito que explode no meu peito, para que ninguém o ouça! .. E para que principalmente tu não o ouças. O grito que à primeira fresta, escaparia à velocidade da luz e te envolveria com a violência de um Adamastor, num turbilhão irracional de sentimentos que jamais se ousariam a obrigar-te a partir, ainda que isso fosse tudo o que merecesses.

Queria poder gritar a pulmões abertos que és apenas Nada, e acreditar eu própria nisso. Queria acreditar nisso, ainda mais do que quero que tu acredites. Mas não posso (e para ser sincera, nem quero) negar todos os momentos que nos proporcionamos, ainda que possam não ter passado de uma doce ilusão. Não posso negar a saudade que sei que virá, nem o vazio da tua ausência...
Refugio-me nas palavras escritas, quando não me permito a sussurra-las ao teu ouvido, quando não me permito a demonstrar-te o quanto elas significam.

Resta-me espremer todo o Bom que possa existir no Mal feito, e usá-lo da melhor forma. Apenas te posso oferecer o calor do meu abraço, sempre que dele precisares. E para mim... para mim fica aqui, também escrito mas nunca demonstrado, o beijo da despedida, para finalizar as palavras que nunca irás ouvir de mim.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

mesmo perto, nunca as férias me pareceram tão longe

Há muito que a minha Caixa de Pandora pessoal se abriu.... agora, até a Esperança que resistira a partir, mantendo-se no fundo da minha caixa, se começa a esvair lentamente.... para dar lugar à Desmotivação e à Frustração.




mais um semestre de merda, de tempo perdido,
de insanidade mental, de esforço vão....
preciso tanto de férias!

sábado, 27 de junho de 2009

something always brings me back to you

Qualquer sinal da tua existência, seja ele de que tipo for, ainda faz o meu estômago arder numa ressaca desenfreada de qualquer coisa que me davas e que o meu ser necessita faz tempo. Ainda tenho descargas de adrenalina que fazem o meu corpo agitar-se contra minha vontade, que me provocam impulsos contra os quais me debato para não voltar a cair no mesmo. Ver-te, saber-te... é como cair num campo de urtigas... sinto o coração a palpitar violentamente na garganta, por não conseguir sair.
Deixei de lutar contra esta necessidade. De querer-te e de querer que desapareças para sempre. Correr atrás de ti é vão, fugir de ti também não resulta. Vou apenas ficar aqui como se nada fosse(s). Não vou tentar bloquear as recordações nem os sonhos que acontecem quando não estou a dormir. Não vou evitar-te, não vou procurar-te. Desta vez vou apenas ficar aqui à espera, mas não de ti.... apenas à espera! À espera que o tempo corra, até chegar o dia em que eu acorde e não sejas a primeira coisa que me passa no pensamento. Vou apenas.... esperar que passes!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Soundtrack of something




what if I say that I mean every word he says?

terça-feira, 16 de junho de 2009

Enough is enough (?)

'I think the hardest part of kicking a habit is wanting to kick it. I mean, we get addicted for a reason, right? Often, too often, things that start out as just a normal part of your life at some point cross the line to obsessive, compulsive, out of control. It's the high we're chasing, the high that makes everything else fade away
(...)
The thing about addiction is it never ends well, because eventually, whatever it is that was getting us high stops feeling good and starts to hurt. Still, they say you don’t kick the habit until you hit rock bottom, but how do you know when you’re there? Because no matter how badly a thing is hurting us, sometimes letting it go hurts even worse.'



Grey's Anatomy [S04E02]

sábado, 13 de junho de 2009

Again...

Apareces. Fazes todo o meu ser estremecer por dentro e por fora, num grau superior a tudo o que é conhecido. Qual escala de Mercalli ou Richter..... Foco em ti, epicentro em mim. Depois do primeiro abalo desapareces. Fico eu e as minhas réplicas. Desarrumas tudo o que estava organizado, fazes-me duvidar de tudo o que achava que sabia, questionar tudo o que foi dito ou feito.
Por fim, fico eu e o caos. Escapas-te por entre a multidão, estrategicamente... e sou obrigada a lidar com tudo o que danificaste à tua passagem.

Simplesmente... pára! Pára de me alimentar ilusões...


not so perfect timings

'And every time i think i'm through with you
You always seem to come around
And every time i've tried to work with you
All you've done is you've brought me down'

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Incerteza

'No início do século XX, o Marquês de Laplace, cientista francês, argumento que o universo era completamente determinista. Ou seja, se tudo é governado por um conjunto de leis científicas que nos permitem predizer tudo o que aconteceria no Universo, bastar-nos-ía saber o seu estado completo num determinado momento para saber o futuro.
Connosco aplicar-se-á o mesmo? Basta compreendermo-nos todos totalmente num preciso instante para resolvermos todo o futuro? Sim? Não? Laplace acreditava que sim porque aplicou a sua teoria ao comportamento humano.
Laplace estava errado. Por mais que nos conhecamos agora, nunca vamos poder extrapolar isso para o futuro.
As relações são como a teoria quântica: Quanta maior for a precisão desejada deum cálculo, maior é a incerteza de um resultado. INCERTEZA é aqui a palavra chave e conclusão da teoria que o alemão Werner Heisenberg, no início do século XX formulou com base nos conhecimentos quânticos de Max Planck.
Quanto mais tentarmos predizer o resultado baseando-nos nas escolhas que temos, mais vamos falhar, porque cada observação produz um certo número de resultados possíveis diferentes, ou assim concluiram Erwin Schrodinger e Paul Dirac nos anos 20.
Einstein não gostou, apesar de ter contribuído de forma muito importante para o desenvolvimento da chmada mecânica quântica (valeu-lhe um Nobel). "Deus não joga aos dados" foi a afirmação que resumiu o seu cepticismo quanto às bases probabilísticas da teoria dos quanta.
Afinal, parece que todos jogamos aos dados desde os anos 20 e ainda nem nos apercebemos disso. Se os electrões podem estar em dois locais diferentes ao mesmo tempo, não admira que nós também possamos.'

Miguel Costa (inspirado em Breve História do Tempo, Hawking)

segunda-feira, 18 de maio de 2009

it never stopped... I just stop showing it



... porque há palavras, sons e imagens que nos prendem em determinadas alturas. E muitas vezes, são um espelho de algumas situações.





Cravaste-te em mim com unhas e dentes, resta-me tentar esconder-te do mundo. Reservo-me ao direito de te 'libertar' aqui, para conseguir viver como se não passasses de apenas mais um, como se nunca me tivesses cativado, como se jamais me tivesses feito feliz e me tornado, de alguma forma, completa.

domingo, 17 de maio de 2009

Para quê mentir (...)

"Guardar cá dentro amor
Não nos faz nada bem
Quando cá fora o ódio quer entrar
Fui morar pra paixão
Pois eu sei
Que não há melhor lugar
Para sempre eu vou esperar por ti"





...bastou uma noite para ele se querer mostrar...

sexta-feira, 8 de maio de 2009

One more dream.

Não sei se é só comigo, mas uma coisa que me acontece com alguma frequencia em semanas como esta, em que a sobriedade é um mito, é que na altura de dormir sonho muito. Sonhos que parecem estupidamente reais. E, por outro lado, quando acordada fico com dificuldade em saber se estou só com uma grande bebedeira em cima e está tudo realmente a acontecer, ou se vou acordar a qualquer momento e ver que tenho de me despachar para mais um jantar.
Mais uma vez, a realidade e a utopia sao separadas por uma fina linha que por vezes nao consigo distinguir.

E eis que me apareces tu. Entras de rompante no meu sonho. Estremeces o meu ser por dentro e por fora, fugido daquela caixa guardada no sitio mais escondido, que havia jurado nunca mais abrir, mas que secretamente abria para aniquilar saudades (ou para as alimentar :x ). E desapareceste!
Os poucos minutos deste 'confronto' foram os suficientes para trazer à superfície meses e meses de vivências, de encontros, de sensações que tinham sido trancadas a sete chaves.
A pele arrepiada, as pernas que insistiam em não parar de tremer, os olhos que ardiam, a saudade... a confusão.

Era o meu sonho, e por isso decidi que te ia voltar a ver. Entre as trocas de elogios e os batimentos fortes dentro do peito, o teu toque era o mesmo. Ainda eras tu, tinha a certeza!!! O perfume que tantas e tantas vezes se alojou na minha pele... era capaz de o distinguir em qualquer lado, de olhos fechados sem precisar de te ver. As conversas pela noite dentro, as borboletas na barriga, aquela vontade de parar o relógio por tempo indefinido.....

Acordei! Desapareceste outra vez, e o 'até quando?' é uma incógnita. As marcas da tua presença ficaram.
Cada um continua no seu caminho, com a certeza que nos voltaremos a cruzar.
O bom disto é que 'recordar é viver' :)

terça-feira, 28 de abril de 2009

' Queima é em Coimbra, o resto são fitas '




















Apesar do cartaz mais parecer cartaz de Latada...... Queima é Queima!
E Coimbra.... tem mais encanto :)

terça-feira, 21 de abril de 2009

What a mess!

A minha mãe costuma queixar-se da desarrumação do meu quarto. Posso dizer que não arrumo o quarto (por inteiro) vai para cima de um ano. No meu quarto, estrangeiros só mexem para limpezas, da desarrumação cuido eu..... ou não!

Às vezes dou por mim a pensar, que muitas vezes o que vai no pensamento das pessoas é uma desarrumação ainda maior que a do meu quarto... e eu não sou excepção. O meu quarto, a bem dizer, é uma amostra do estado em que tantas vezes se encontra a minha cabeça.

Odeio que alguém tenha sequer a ideia de arrumar o meu quarto, porque no meio da minha confusão vou-me entendendo, se alguém mexe está tudo estragado, e deixo de saber onde tenho as coisas... porque alguém as arrumou.

O engraçado é que nunca ninguém se ofereceu para me arrumar as ideias. E essas eu deixava que mas arrumassem de bom grado.
As tentativas de as arrumar foram mais que as de arrumar o quarto, e continua tudo em estado de sítio.
O quarto eu sei que o arrumo, sei que preciso apenas de uma dose de força de vontade e de tempo. Deitar fora o lixo do passado, arrumar tudo por ordem de necessidade e utilidade, e já está.
É fácil... por isso é que ainda está por fazer!
Gosto de coisas que dão luta, o que não dá.. mete-se de lado para (mais uma) outra oportunidade.
Provavelmente devia começar pelo mais básico, ir arrumando por etapas.. e depois talvez conseguisse arrumar coisas mais complicadas.... mas é a preguiça! Sempre tive a mania de tentar saltar níveis.... e de tentar fazer as coisas que sei, logo à partida, que não vou conseguir fazer.

Outra constatação engraçada, é que depois de escrever isto, dei por mim a pensar que aplico isto em quase tudo na vida.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

O fruto proibido....



..... é o mais apetecido!


..mas porquê?

sexta-feira, 27 de março de 2009

It's not so important happy ever after.

"Sex is good, relationships are bad. Relationships cause people to be cold... and lying and deceitful"
(Dr. Cooper Freedman, Private Pratice)


Se há um ano atrás eu soubesse o que (penso que) sei hoje, talvez tivesse sido menos infeliz, talvez as coisas tivessem acontecido de outra forma, talvez tudo fosse diferente... talvez.... talvez não existissem tantos 'talvez', tantos 'e se', mas acima de tudo, talvez não existisse toda a desconfiança que se apoderou do meu dia-a-dia, todo este crescente desacreditar nas relações e nos sentimentos, na fidelidade e no respeito mútuo.
O amor cada vez mais me parece um mito, as relações estão cada vez mais banalizadas e 'namorado/a' hoje em dia, é aquela pessoa que temos fixa.. 'ao fim de semana', no meio de tantas outras por quem cada um se pode andar por aí a roçar sem qualquer peso na consciência, com um cada vez mais ausente respeito por esse 'estatuto'. É apenas um rótulo. Alguém para mostrar à família, alguém para passear em público de mão dada. Mas que na realidade, e possivelmente na maior das ignorâncias, não passa de apenas mais um/a com quem se partilha os lençóis....

Não foi para isto que me prepararam durante estes anos... até há uns tempos, não sabia o verdadeiro peso de 'a vida não é um conto de fadas, com príncipes, castelos e felizes para sempre'. Doce inocência, porque fugiste??

Aprende-se a viver de acordo com as mudanças de que nos apercebemos (que já lá estão, andamos é muito tempo de olhos fechados), e tira-se o melhor que conseguirmos para nós. E com o tempo vamos enrijecendo (e secando)... e apercebemo-nos que se não tivermos cuidado, acabamos como eles. Mas o que interessa é conseguir não se ser infeliz, e eu estou a aprende-lo.

E daí? Daqui a um ano já vou saber muito mais do que (penso que) sei agora, e já nada disto fará sentido outra vez.

.. Mas neste preciso momento, pudesse eu voltar um ano atrás... saberia conter os pés que quiseram correr mais do que aquilo que as pernas conseguiam, e talvez, numa corrida mais ritmada, eu tivesse chegado à meta.


P.S.: Vou voltar a Química, senão amanhã levo um 'estudasses!'

terça-feira, 3 de março de 2009

E juízo?

Fui para os copos! Hora de chegada à casa Clã: 5 e qualquer coisa horas
Inês, ressonas um bocadinho sabias?, disse ela. Sim, quando estou com o nariz entupido...
Acordar, queimar o vício e continuar no corte-e-costura da madrugada anterior. Almoçar. Ir torrar para a esplanada da frente. Ir para casa ao final da tarde. Ir para tomar banho e reparar que cortaram a água. Vestir qualquer coisa limpa, dar uma esticadela na franja, borrifar-me com perfume para disfarçar o cheiro a fumo(...) da noite anterior, passar o lápis nos olhos e tá novo! Chegar 45 minutos atrasada ao jantar. A minha garganta esá a arranhar, estou a ficar doente! Fui para os copos! Chegada a casa: 5 e qualquer coisa horas.
...não me lembro do dia, mas também não é importante... acordei com dores de garganta.
Meia noite e qualquer coisa desse mesmo dia que não me recordo muito bem, mas que também não é importante: um quinteto de quatro bebedos Miguel, Diogo e Duarte arrastaram-me de casa para fora... fui para os copos! Chegada a casa: 4 e qualquer coisa horas.
Mãe, compra-me pastilhas para a dor de garganta. Pastilhas miraculosas extreminam a dor de garganta. Vem a tosse...

É isto... E quinta-feira rima com???? ...Sssim, isso!!! Ahhhh pa... afinal não, desta vez enganei-vos (ou não!)!! ... esta semana, quinta-feira rima com: jantar de curso! .... ora pois!

P.S.: É de notar que devo ser uma menina extremamente bem cheirosa por natureza, porque ninguém se queixou da minha falta de banho. E aqueles, se tivessem notado algo diziam-me... trust me!
P.S.2: Só para que não haja dúvidas, a àgua voltou naquele dia que eu nao me lembro muito bem mas que também não é importante, e tomei banho antes de ir novamente para os copos.

E com esta me despeço!

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Coincidência(s).

s. f.,

simultaneidade de dois acontecimentos;
concordância;
justaposição;
identificação de duas ou mais coisas;
acaso.



Depois de praticamente 4 meses... porquê? Porquê justamente naquele dia? Porquê tantas vezes?
De repente fiquei com tantos porquês... há coincidências assustadoras.


....the end has no end...

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Finalmente...


"Vejo a lua duas vezes, esta noite é pá desgraça! Não conheço esta avenida, afinal o que se passa...."

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

O poder de um boato.


Há quem não consiga ser feliz de outra maneira...

e

Há quem não deixe de ser feliz, mesmo com eles à volta :)

sábado, 31 de janeiro de 2009

E se o capuchinho vermelho comesse o lobo mau?

Jeff Kohlver: You're getting yourself in terrible trouble.
Hayley Stark: Oh? Oh and how's that?
Jeff Kohlver: If you cut me in any way you won't forget it. It changes you when you hurt somebody.
Hayley Stark: Oh and you speak from experience I guess.
Jeff Kohlver: I've just lived. Unlike you. The things you do wrong... they haunt you.
Hayley Stark: Tell me what you're haunted by.
Jeff Kohlver: Do you wanna remember this day when you're with a guy? On a date? Or on your wedding night? 'Cause I promise you you will. Don't do that to yourself.
Hayley Stark: Wow... You know, that is so thoughtful! You are speaking to me so selflessly! I mean, you just don't want me to castrate you for my own benefit? Wow, I'm touched. Jeff, why don't we imagine someone saying the same thing to you at a random moment? Imagine that when you downloaded this little girl... I was sitting by your side saying, "Stop, don't do that to yourself. Stop, don't do that to yourself. Stop. Stop." Would you have listened?

Hard Candy

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

AA [..is for quitters]

'Olá, eu sou a Inês e tenho um problema com o álcool. Estou sóbria há 21 dias..'
Era o que eu diria se fosse amanha (agora que olhei para o relógio, não é amanha é hoje) a uma reunião dos AA, e toda a gente me aplaudiria com compaixão.

Humff.. como se fosse um grande feito! Porra, o meu problema com o álcool.. é a falta dele! -.-
E porquê?
Época de exames = Muito estudo. Poucas horas de sono. Cafés, chocolates e tabaco a mais. Pânico. Faltar a exames por nao estar preparada. Crises existenciais. Stresses e nerves = Pausas demasiado prolongadas para: grigri/(mais) um café/lanchar/preparar psicologicamente para ir estudar outra vez/ver qualquer merdisse na net (ai faines, méssienes, youtubis e derivados)/ouvir aquelas musicas que na altura fazem todo o sentido do mundo/ter conversinhas daquelas só para actualizar das cenas/rir como se não houvesse amanhã de tudo e todos (até mesmo do que não tem piada).... enfim! Tudo é desculpa para não estudar ...
Resumindo, em duas semanas a ir (praticamente) todos os dias para o Polo das 9h as 20h... tempo produtivas daqui tira-se muito pouco.
Conclusão: com tanto tempo perdido com tudo e com nada, não sobra nenhum tempinho para o que quer que seja.. depois começa a apertar, a chegar as vésperas e é o ai jesus que nao tenho tempo!

Quando acabarem os exames, durante uma semana vou andar embriegada todos os dias! E assim os AA já não ficam com inveja de mim... :D

Nota: só mesmo para reforçar a ideia do título... AA é para desistentes xD

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Mais ninguem é mais amigo que eu e tu xD

Se tivesses hi5 eu ia deixar isto como comentário, como não tens deixo aqui. Sei que eventualmente vais ver..



x)
Só porque és parvo da cabeça, e pegas no carro as 10 da noite e vens de Aveiro só para vir tomar café comigo.
E porque és o mÁior!... só! :D

'Há amizades que valem a pena... mas a tua vale a galinha inteira' xD

domingo, 4 de janeiro de 2009

'De Ni(a)le'

"Sometimes reality has a way of sneaking up and biting us in the ass. And when the dam bursts, all you can do is swim. The world of pretend is a cage, not a cocoon. We can only lie to ourselves for so long. We are tired, we are scared, denying it doesn't change the truth. Sooner or later we have to put aside our denial and face the world. Head on, guns blazing. De Nile. It's not just a river in Egypt, it's a freakin' ocean. So how do you keep from drowning in it?"


Meredith Grey