sexta-feira, 10 de outubro de 2008

"Gostar é só metade da guerra"

Estava a procura de inspiração que completasse este título, mas não a encontro em lado nenhum. A falta de inspiração é um problema de que padeço à algum tempo..

Pode haver muito mais a acrescentar, ou muito pouco, dependendo do ponto de vista. A afirmação é simples e clara! Gostar só não chega.. porquê? Porque a vida é simples, mas nós gostamos de a complicar.. talvez porque se não fosse a nossa tendência natural de complicar as coisas, a vida não tivesse piada! E lidar com sentimentos não é tarefa fácil, não para o mundo feminino, mas de certeza que não também para o masculino. Lamento amigos, mas se as gajas são complicadas, deixem-me que vos diga que vocês não ficam nada atrás. Porque tu gostares dela e ela gostar de ti não chega, não te iludas!
Palavras, levam-nas o vento.. e dizer que gosto de ti, ou dizeres que gostas de mim não é uma força suficiente que aplicada a duas pessoas as leve a serem felizes. Toda a gente tem medo de se magoar! Há pessoas que pensam mais que outras, mais ponderadas.. há pessoas que não são felizes por medo de tentar, e há as que o não são por tentarem prematuramente. Por mais que falem de amor incondicional, de confiança e dessas tretas todas... numa relação entre duas pessoas, seja ela de que tipo for, as pessoas estão sempre à procura de provas que materializem o sentimento que se diz sentir. É inevitável, é fodido, mas é mesmo assim! Se não te conseguir provar que é de ti que gosto, vais estar sempre de pé atrás.. e por outro lado, confesso que dizeres que gostas também não chega.. se não chega para ti, porque haveria eu de me contentar com palavras?

2 comentários:

Utopic disse...

Mas esse é o desiquilíbrio da equação que tem sempre de acontecer (felizmente) para não nos deixar cair em rotina. Ou segurar as exigências. Imagina o que era estarmos constantemente a provar (materialmente) que gostamos de determinada pessoa. As primeiras vezes ainda é na boa, mas depois as hipóteses vão começando a escassear, tal como a originalidade. É bom que assim seja, que seja fodido, e que nos ponha em estado de sítio termos de aturar as pancadas de alguém. Gostas de viver sem aquela incerteza do "será que é hoje que sou surpreendida?"? A maioria das vezes a resposta à pergunta entre comas é não, mas quando lá acontece ser um Sim... bem, compensa por todos os Não's, não concordas? Beijo ;) *

Isa disse...

É... Até que me serviu a carapuça! lol