sábado, 3 de novembro de 2007

Sweet child

Às vezes o "material" duro em que me estou a tornar tem as suas quebras, e por entre as frestas consegue ver-se aquela criança inocente que acredita em sentimentos bonitos e historias com um final feliz, que se derrete a ler historias de amor e a ouvir palavras doces que sussuram no ouvido como uma leve brisa fresca, num dia de calor insuportavel.
É esse olhar, esse sorriso, esse abraço... que fazem voltar a mim aquela criança que acredita no impossível, e que é feliz por ser capaz disso.
É como o sol quando aquece e ilumina um dia frio de inverno.. depois às vezes vem uma nuvem e tapa.. e volta a ficar frio e escuro.
Mas esse calor deixa-me desnorteada.. essas mudanças climatéricas mudam a minha personalidade (mais ou menos como a lua influencia as marés), fico mesmo sem saber quem e como realmente sou. Desconheço-me.
Continuas a ser aquilo que é ideal para mim, o meu ponto de equilíbrio. Gosto!

3 comentários:

Maike disse...

ahh...agora já me deixa comentar, caralho!

hás de te habituar às mudanças de personalidade...houve 1 altura em que nao me reconheci mto bem também...a mudança de meio assim duma maneira tão radical faz operar em nós mudanças do cara...mba...mas por mais que mudes continuas a ser tu e por mais opções conscientes que faças, os teus instints continuam la :D

*******

igor marques disse...

nada disso!

a isso chama-se pito aos saltos!

hum... é sempre bom termos alguém - pode não ser quem nos segure para a vida toda, mas termos alguém, mais não seja naquele momento... é bom, não é?

***

Anónimo disse...

Olá! chamo-me Pedro e vim parar ao teu blogue porque queria ouvir a balada de despedida do 5º ano juridico(não choro mas pouco falta para isso). tens toda a razao aqui! eu também passai por um período no mínimo dificil e eu precisava de ver essa criança que tinha em mim. Ainda hoje às vezes preciso de parar e obeservar a vida. então quando vejo as crianças a brincar no recreio ... é que eu perco-me nesse sentimento da inocencia e de ver o que é belo. o que também é facto é que não somos só nós (pessoas) que estamos a mudar. é tudo e sim! estas mudanças podem deixar certas pessoas muito confusas e com medo. mais ou menos a partir do momento em que começamos a perguntara toda a gente "qual é o sentido da vida". mas bem ... ate respondermos a essa pergunta temos apenas de viver um dia de cada vez!
(se quiseres responder ... mrdjpipoca@hotmail.com)