segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Ilusions

Pudesse eu deitar-te fora... arrancar-te do peito e dar aos lobos, contigo ainda a palpitar de estupidez. Eras capaz de dar um bom banquete, tao cheio de nada que és... só ilusoes e sonhos de cristal de uma criança ingénua, que viu cairem todos e estilhaçarem-se em mil pedaços aos seus pés.
Pudesse eu trancar-te num cofre e deitar fora a chave, enterrar-te no sitio mais profundo dos confins do mundo onde nunca ninguem te descobrisse.
Ou antes... pudesse eu congelar-te! Quem quer que se tentasse agarrar escorregava... era muito melhor. Mas não!..Tinhas que ser um musculo, onde se podem agarrar... e cravam-te as unhas e ficam lá, como um peso morto... que por mais que se sacuda nao cai, mas vai abrindo feridas.
O engraçado é que eu escorrego bastante facilmente dos outros coraçoes...

E porque é que me crias tantas ilusões? Porque me enganas? Porque me levas para caminhos que me vao magoar ainda mais?? Porque é que nao páras?!
Estupido miocárdio!

domingo, 23 de dezembro de 2007

Sometimes I cannot feel my face


What if nobody could hear you screaming?

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Estudasses com mais tempo...

Passei o fim de semana a tentar seduzir o CHANG.... mas nao houve química entre nós! Eu ate tava a conseguir, mas precisava de mais tempo..... (desconfio q seja um bocado gay)
...agora falta o exame, e para esse... CHANG... prepara-te!!! Vou-te violar!!!! Tu e eu.. eu e tu... até dia 16 de Janeiro vamos fazer química à parva!!!

domingo, 16 de dezembro de 2007

Amizade(s)

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles. A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor. Eis que permite que o objecto dela se divida em outros afectos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade. E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências... A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar. Muitos deles estão lendo esta crónica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários. De como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente construí, e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida. Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo. Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer... Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos! A gente não faz amigos, reconhece-os.

Vinicios de Moraes



Este texto diz muito do que por vezes sinto e nao consigo dizer...

domingo, 9 de dezembro de 2007

Embrace the storm

So queria que um raiozinho de sol espreitasse por entre aquelas nuvens tao escuras que aqui estao por cima, que estivesse lá o tempo suficiente para aquecer um bocadinho.. um raiozinho que dá aquele calor que sabe mesmo mesmo bem, aquele raio que acaricia gentilmente a pele que foi ferida pela tempestade, pela chuva e pelo vento.. como mil agulhas que se espetam num corpo nu e desprotegido..

E pensar que num dia parece que estou a caminhar para fora da tempestade, em busca desse raiozinho de sol, e depois vem uma rajada de vento que me empurra para dentro dela de novo... ou até mesmo só uma brisa que me susurra ao ouvido e me lembra de todos os meus gritos silenciosos...

I need to take a breath....





sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Morrer lentamente

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve musica, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor próprio , quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo caminho, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco, e os pontos nos Is em detrimento de um remoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho , quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir aos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incessante...

Morre lentamente quem abandona um projecto antes de o iniciar , não pergunta sobre um assunto que desconhece, ou não responde quando lhe indagam sobre algo
que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.

Pablo Neruda

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Untitled1

"Porque não funciona o nosso coração como o Outono? Bem podia fazer com que as folhas de paixões antigas e secas e que apenas causam dor desaparecessem como uma leve brisa em forma de lágrima... Que se enterra bem longe essa dor antiga e se deixa florescer nos terrenos sempre férteis do coração! Porque ocupam essas folhas secas o lugar de folhas novas prontas a brotar a qualquer altura? Porque não deixam as velhas paixões que novas Primaveras surjam na vida de cada um? Será demais pedir que se enterre o que está morto para que possa viver o que quer nascer? Será correcto negar-lhe esse direito? (...) Nunca se esquecem as folhas que nos deram oxigénio, mas essas precisam de ser rendida quando apenas dão dióxido de carbono e intoxicam a nossa felicidade... Só assim a vida pode ser encarada de forma saudável!!!Tenho dito.."

texto adaptado de Hugo Polido, 1º ano, in dizCurso (boletim informativo do NEDEQ/AAC)

Há dias assim

"And how I miss someone to hold when hope begins to fade..."

Porque há dias em que nao conseguimos deixar de duvidar das nossas capacidades
Porque há dias em que é muito difícil nos libertarmos do peso da dor, porque ela bate mais forte..
Porque há dias em que por mais que estejamos rodeados de gente nos sentimos sós...
Porque há dias em que precisamos do calor daquele abraço, e abraçamos mil pessoas e não o encontramos...
Porque há alturas em que começamos a acreditar que estamos a conseguir, e vem uma rajada de vento que nos derruba, e caímos e magoamo-nos.. e nao conseguimos respirar fundo para nos levantarmos..
Porque há alturas em que parece que nada dá certo e que sabemos que temos de continuar, mas nao sabemos como..
Porque há dias que apetece isolarmo-nos do Mundo e ao mesmo tempo nao queremos estar sozinhos..
Porque há dias demasiado assustadores e nos sentimos criancinhas indefesas.. mas que agora a mãe nao consegue proteger...
Porque há dias em que apetece chorar até adormecer e temos que sorrir...
Porque há alturas na vida em que temos de nos habituar à ausencia de certas pessoas que eram essenciais..

Porque há dias em que apetece desistir....

...só mesmo porque há dias assim!

sábado, 1 de dezembro de 2007

Not how it used to be

Quando tropeçamos e nao temos nada para nos amparar, e que tudo o que agarramos se desfaz nas nossas maos e escorrega por entre os dedos...

...a sensação é que estamos em queda livre, sem saber como ou quando vamos chegar ao chao e o que nos espera lá em baixo!

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Fear of the dark

Esta é dedicada à Catarina e ao Simao, as melhores pessoas que ja pisaram o chao do DEQ, e que tanto me tem aturado ;)

I hear voices inside my head

Porquê?
Porque raio tens sempre de estar a sussurrar ao meu ouvido essas coisas? Porque raio me avisas tanto, mas nao tens forças para me impedir?!
Deixa-me viver... se correr mal, paciencia.. mas assim nao tenho de te ouvir no fim a dizer que me avisaste, que eu podia ter escolhido nao ir por ali enquanto era tempo.
Mas se nao fosse... se nao fosse ia ficar na duvida, porque nao tinha tentado, porque tinha fugido a uma nova tentativa de algo diferente...
Cala-te por favor!!Ja nao te posso ouvir mais... nao me deixas ser feliz, nem quando parece que o sou, porque tens de estar sempre a zumbir no meu ouvido... deixa-me acreditar completamente numa ilusao, e noutra e noutra... mesmo que todas elas caiam, como sempre. Ao menos sou feliz na minha ignorancia...
Juro que gostava que te calasses para sempre, porque ja nao consigo destinguir quando és tu que me gritas do meu silencio, ou quando é o meu medo de ti que fala mais alto...
Sei que assim é dificil.

domingo, 25 de novembro de 2007

From ashes to fire (once again)

Ninguém aprende com os erros dos outros. Quando se aprende com algum erro, é com um que seja nosso e raramente é a primeira (ou segunda ou terceira).
Mas descobri que mais importante ainda que aprender com um erro, é acreditar que o conseguimos superar... ao erro e a tudo aquilo que ele desencadeie, por pior que possa parecer o cenário.
Apercebi-me disto quando notei que, por vezes, sou eu que me deixo consumir pelo meu proprio sofrimento (às vezes é inevitavel). É triste termos pena de nós proprios, mas a verdade é que quando o chão nos foge dos pés, o céu ameaça despedaçar-te sobre as nossas cabeças e ainda passa uma tempestade que nos leva tudo (ou quase tudo), há aquela altura - a da negação - em que temos pena de nós proprios, em que achamos que a vida é injusta e "que mal é que eu fiz para merecer isto?" .. admita quem quiser, quem nao quiser temos pena! Eu admito, porque muitas vezes sou assim... e é ridículo. Queremos tanto mudar o que não podemos, voltar atrás e fazer tudo diferente, que nao nos lembramos de procurar outro caminho, fazer um desvio.. sei la... qualquer coisa que nao seja voltar para trás. Porque simplesmente nao aceitamos.

Dentro de cada um de nós existe força suficiente para superar o que quer que seja, o problema é que nem todos conseguem descobrir onde elas estao, porque dá trabalho... porque é preciso esforço.. e porque é muito, mas muito mais fácil deixarmo-nos sucumbir à dor, porque o Ser Humano tem o seu quê de masoquista, e a dor de certo modo por maior que seja, é mais facil de suportar do que empenharmo-nos em seguir em frente.

Sempre tive medo das mudanças (quem nao tem?), principalmente quando sao daquelas que me são impostas, que ninguém pergunta se quero assim ou de outra maneira, que vem de repente sem avisar... Essas que ja me fizeram cair tantas vezes.
"What doesn't kill you, makes you stronger", está nas maos de cada um decidir se prefere ser forte ou morrer lentamente...

Caia as vezes que cair, hei-de conseguir sempre sorrir de novo, porque acredito que sou capaz disso... basta querer!

(Obrigada aos que acenderam e matem aceso o meu sorriso - nao digo nomes porque ainda me escapa alguém. Nao querendo parecer cliché: voces sabem quem são! :P)





It's time to put myself on fire!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Este Shakespeare era um senhor!

“Depois de algum tempo aprendes a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. Aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. Começas a aprender que beijos não são contratos, que presentes não são promessas. Começas a aceitar as tuas derrotas de cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. Aprendes a construir todas as tuas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair a meio do voo.
Depois de algum tempo, aprendes que o sol queima se ficares exposto muito tempo.
Aprendes que não importa o quanto te importes... algumas pessoas simplesmente não se importam! E aceitas que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-te de vez em quando e tu precisas perdoá-la por isso.
Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que levas anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podes fazer coisas em um instante das quais te arrependerás para resto da vida.
Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e o que importa não é o que tu tens na vida, mas quem tu tens na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprendes que não temos que mudar os amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebes que o teu melhor amigo e tu podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobres que as pessoas com que te importas na vida são levadas de ti muito cedo, por isso devemos deixar sempre as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vemos. Aprendes que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começas a aprender que não te deves comparar com os outros, mas com o melhor que podes ser.
Descobres que se leva muito tempo para nos tornarmos na pessoa que se quer, e que o tempo é curto. Aprendes que não importa onde chegaste, mas para onde estás a ir, mas se não souberes para onde estás a ir, qualquer caminho serve.
Aprendes que, ou controlas os teus actos ou eles controlar-te-ão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.
Aprendes que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprendes que paciência requer muita prática. Descobres que, por vezes, a pessoa que esperavas te chutasse quando cais, é uma das poucas que te ajudam a levantar.
Aprendes que a maturidade tem mais a ver com os tipos de experiências que tiveste e o que aprendeste com elas, e não com quantos aniversários celebraste.
Aprendes que há mais dos teus pais em ti do que pensavas. Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são tolices, porque poucas coisas são tão humilhantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobres que só porque alguém não te ama da maneira que queres que ame, não significa que esse alguém não te ama com tudo que pode, porque existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, serás em algum momento condenado. Aprendes que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não para para que o consertes.
Por isso, planta teu jardim e decora tua alma, em vez de esperar que alguém te traga flores. E assim aprendes que realmente podes suportar… que realmente és forte, e que podes ir muito mais longes depois de teres pensado que não podias mais, que realmente a vida tem valor e que tu tens valor diante da vida. Aprendes que as nossas dúvidas são traidoras, e fazem-nos perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar."

"...things not what they used to be..."

Mais uma musiquinha.. desta vez: METALLICA!!!




Fade to Black

Life it seems,will fade away
Drifting further everyday
Getting lost within myself
Nothing matters no one else
I have lost the will to live
Simply nothing more to give
There is nothing more for me
Need the end to set me free

Things not what they used to be
Missing one inside of me
Deathly lost this can't be real
Cant stand this hell i feel
Emptiness is filling me
To the point of agony
Growing darkness taking dawn
I was me, but now he's gone

No one but me can save myself, but it's too late.
now I can't think, think why I should even try.

Yesterday seems as though it never existed,
Death greets me warm,now I will just say goodbye.

sábado, 10 de novembro de 2007

Angel Song



This is me with another nervous breakdown
My pressure dropped, this body went with it
Memory fails, I'm feeling claustrophobic
I scream my silent pain in this big plain
There's no one here
Tell me who is there now
Who is there with you

I'm taking no calls unless it's her voice
I'm seeing no one unless it's her
I open the mailbox every hour
Maybe I'll hit the postman
I want to hear some love words
But not it that dyslexic voice
No I won't tear apart for you
But I was given no choice

I guess I was trying to keep me alive
But once I was dead there was nothing to do beside
Picking me up and lying me down
Waiting for some angel
To wake me and say to me
"Hello. Don't be scared. I want you to know, you're not dead."

Kiss me, is this a dream?
Should I believe it?
Please promise to me that I'm not going to get hurt this time.

Am I too good for you, am I just paranoid?
Should I clinical ou should I speak louder?
Maybe I should close my eyes for years
And wait for the strongest feeling
Out of all of the feelings
to raise
from
you.

Am I real? Are you real? Is this real? What's real?
Am I real? Are you real? Is this real?

Tell me, what's real?

Como "acender" um sorriso

"Pra isso servem os amigos... Se precisas falar eu ouço, se precisas rir eu faço a maior palhaçada pra te arrancar uma gargalhada, se precisas de sorrir lembra-te que qd sorris das td a motivação possivel pra q eu consiga ter forças pra t poder ajudar qd mais precisas =)"







obrigada!

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Eu

É o que dá ter que estudar e nao se ter vontade.. começamos a vaguear pela net.. encontramos um site com questionarios estupidos e começamos a responder-lhes. Aqui vai..

1º Questionario

Teste de personalidade

Como vê a vida...
As montanhas , indicam que você é sobretudo prático, tem senso de justiça, os pés no chão e conquista as pessoas pela sua honestidade. Uma prova disso é a sua atitude quando alguém pede ajuda para resolver um problema. Antes de tomar qualquer partido, ouve as partes envolvidas.

A pessoa dos seus Sonhos
Se escolheu a garrafa é ambicioso, inteligente, prático e quer um companheiro que o ajude e batalhe ao seu lado, mais do que, amor ou paixão, você procura companheirismo e um parceiro esperto, bem disposto e colaborador.
Dos chamados moscas mortas, prefere manter distância.

Será que quer um compromisso sério?..
Tem outras prioridades, pelo menos por enquanto.

Os limites da Paixão...
A cascata revela que gosta de conquistar, esbanjar o seu charme e saber que as pessoas se apaixonam facilmente por si, mesmo que para si, perca logo a graça. Mas aparece sempre alguém novo, aliás, isso é muito natural.

Acerca do Futuro...
Se viu a chave antiga, mostra que você tem garra e uma vontade ilimitada de aprender tudo o que puder e que vai atrás e luta pelos seus objetivos.

Quem é que não tem ambição?
Ainda não conseguiu decifrar muito bem o que deseja para o amanhã . Enquanto isso, para não se desiludir, caso alguma coisa corra mal, prefere sonhar com o que vai fazer com o dinheiro todo que irá ganhar, quando ficar milionário.

Quando é que o sucesso chega?
Entrar na casa é ter confiança em tudo o que faz, sabendo que existe sempre a possibilidade de errar ou acertar. Sendo assim, nada consegue atrapalhar o seu caminho.

Medo de...
Através do mágico , você demonstra o receio que tem das situações que estão fora do seu controlo. No entanto, para aliviar tamanha tensão, procura a ajuda de um poderoso guia ou mestre e explicações sobrenaturais para os seus problemas pessoais.

O EU mais profundo...
A praia é a escolha de quem é apaixonado pela vida, nada convencional, com opiniões próprias, e sem o menor medo de as defender e mudá-las, se for preciso.


2º Questionário

É um falso amigo?

O seu resultado:
Não há erro possível, aquele que todos gostariam de ter como amigo é você. Tem o dom de pôr os outros à vontade, de estabelecer rapidamente um forma de cumplicidade. Tem as qualidades do coração que fazem com que, por instinto, os outros confiem em si. Dito isto, você é amável sem ser estúpido. Aliás, os falsos amigos não gostam muito de si, porque lhes mostra muito rapidamente que não é parvo. Mas o seu trunfo principal é saber ser receptivo ao mesmo tempo que mantém uma certa reserva. E isso agrada muito!

Not meant to be

Nao costumo acreditar no destino. Acredito que o nosso "destino" depende das escolhas que fazemos, dos caminhos pelos quais optamos.. mas há coisas a que não podemos escapar, por mais desvios que façamos, mais cedo ou mais tarde vamos lá dar.... é só uma questão de tempo - como tudo na vida!
Há caminhos que não estamos destinados a percorrer até ao fim, por muitos esforços que façamos.
Como aprendi em Filosofia (vá, Introdução à Filosofia) há uns anos, somos seres livres de fazer o nosso destino, dentro das nossas próprias limitações. Não somos absolutamente prisioneiros do destino, nem completamente livres dele.

Por muitos "sinais" que achem que o destino vos dá, por demasiadas coincidências que vejam e que façam pensar que isto ou aquilo está destinado a acontecer (porque seria demasiado injusto se assim não fosse).. mantenham sempre presente a racionalidade... porque isso é só uma maneira que muitas vezes nós criamos para nos proteger, para tornar a realidade ou o medo do futuro em algo mais suave e suportável...
Somos apenas nós a alimentar os nossos sonhos... e sabe tão bem!
O problema é a ressaca...

sábado, 3 de novembro de 2007

Sweet child

Às vezes o "material" duro em que me estou a tornar tem as suas quebras, e por entre as frestas consegue ver-se aquela criança inocente que acredita em sentimentos bonitos e historias com um final feliz, que se derrete a ler historias de amor e a ouvir palavras doces que sussuram no ouvido como uma leve brisa fresca, num dia de calor insuportavel.
É esse olhar, esse sorriso, esse abraço... que fazem voltar a mim aquela criança que acredita no impossível, e que é feliz por ser capaz disso.
É como o sol quando aquece e ilumina um dia frio de inverno.. depois às vezes vem uma nuvem e tapa.. e volta a ficar frio e escuro.
Mas esse calor deixa-me desnorteada.. essas mudanças climatéricas mudam a minha personalidade (mais ou menos como a lua influencia as marés), fico mesmo sem saber quem e como realmente sou. Desconheço-me.
Continuas a ser aquilo que é ideal para mim, o meu ponto de equilíbrio. Gosto!

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Wind of change

..E de repente tudo muda...
E as certezas que sempre tivemos transformam-se em pontos de interrogaçao, sentimos um ventinho misterioso a bater na cara e a querer arrastar-nos, so nao sabemos se para bom ou mau caminho (fifty-fifty?); começamos a questionar o que de facto é certo e errado, porque o que antes era um erro, agora questionamos até que ponto é assim tao errado... e repetimo-lo se for preciso, mesmo nao sabendo se é ou nao correcto. Começamos a aperceber-nos que as mudanças à volta sao tantas, que é inevitável nao mudarmos tambem... e de repente deixamos de nos conhecer..
Mas continuamos felizes, apenas com muitas duvidas.. porque a mudança é rapida, mas as respostas levam o seu tempo.

Descobri que por muito que se cresça, há sempre muito mais por onde crescer... ainda há tanto por aprender, tanto por descobrir... é incrível como em diferentes alturas da vida pensamos que ja vivemos tanto e ao mesmo tempo tao pouco...

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Contradições

Forte, corajosa, determinada ...
Fraca, vulnerável, cobarde ...


Há coisas fantásticas, não há? :S

Some kind of spell

"As árvores morrem de pé."

Esta frase ainda não ecoa suficientemente alto para surtir algum efeito.... pelo menos não quando devia!

Se calhar há duendes que enfeitiçam as árvores... ou as árvores é que se deixam enfeitiçar por eles....

domingo, 7 de outubro de 2007

Ideia basica do post anterior

É que eu moldo-me demais aos que me rodeiam, e depois quando tenho aqueles momentos mais.. digamos selvagens, menos racionais... pronto, tá tudo fodido! E é depois desses momentos que eu volto a mim e arrependo-me, e desfaço-me em mil e dois motivos :x

Me vs. Myself

Há (muitas) alturas em que temos de lutar contra nós próprios, contra os nossos instintos mais primitivos para conseguirmos viver bem em sociedade, para conseguirmos ser credíveis no que dizemos, para nao cairmos no ridículo de dizer algo em que ate podemos ter razao, mas em que a forma como o fazemos ou dizemos estraga tudo (e pode mesmo estragar tudo, e nao apenas a nossa imagem perante os outros).
Há alturas também em que temos de crescer e aprender que nao vamos a lado nenhum desta maneira ou daquela, ou ainda que nao é assim que vamos conseguir que determinada relaçao (e falo em qualquer tipo de relaçao, incluindo amizades, etc) corra da melhor maneira, e que acabamos por nos magoar, ou por magoar quem nos está mais proximo. Entao temos de optar por outra maneira... ate acertarmos. O que interessa mesmo é nunca desistir.


A proxima "luta" que tenho de travar contra mim...... Esperem! O motor ainda está a aquecer... nao encontro as palavras que quero :\ ...
Digamos que me preocupo demais com a imagem que as pessoas têm de mim. Nao qualquer pessoa.. normalmente até digo "caguei po que pensam de mim!!Os meus amigos conhecem-me e sabem o que eu sou, como eu sou... o resto pouco me importa". Ora, o problema é mesmo esse: sao aqueles que importam, os amigos, os que me estao proximos, aqueles de quem gosto (de uma maneira ou de outra). Preocupo-me demais em deixar uma imagem "limpa" de mim, em tentar emendar os erros, desculpar-me pela maneira como falei ou como agi, desculpar-me por tudo e mais alguma coisa que tenha despontado um pensamento ou sentimento menos bom nessas pessoas. Preocupo-me demais em ser a amiga com quem se pode sempre contar... mas é mesmo aí que peco!!
Poucas sao as pessoas que se preocupam verdadeiramente se isto ou aquilo me magoou, mesmo que nao tenha sido com essa intençao... um dia mais sensível (nós gajas somos aquele ser estranho, ja sabem), a precisar de mais atençao.. e parece que só levo baldes de agua fria. Sim, porque o mais provável é que noutra altura nao me afectasse, ou simplesmente encolhesse os ombros e siga pa bingo!
Mas não! Aqui a je faz merda, ou acha que faz merda e desfaz-se em mil desculpas, em mil justificaçoes (esta das justificaçoes tb serve para outros casos que nem vale a pena falar) para a minha atitude: ou porque era o mau humor, ou porque isto ou porque aquilo.
..entao mas ... e EU? :\ pois... provavelmente devia começar a agir de outra maneira. Tipo.. falei mal? fui estupida no que disse? nao tinha razoes? AZAR! apeteceu-me na altura... Mas isto só de vez em quando, para variar um bocadinho ;) porque quem gosta... nao precisa que eu esteja sempre a corrigir-me! :)


Post extremamente mal escrito e meio parvo, mas vinha na autoestrada com a cota e atropelamos um gato :( felizmente não causamos nenhum acidente e foi só uma mossa no carro. Nao foi boa experiencia, mas podia ter sido pior... de qualquer modo tenho a cabeça as voltas ainda :\ --> Lá estou eu a justificar-me xD nao há hipotese!!! -.-


P.S.: R.I.P gatinho :(

Just a whisper

Menos... um bocadinho menos!!...pleeeeease? Nao.. nao tá a resultar :\ damn!






(não é para ninguém perceber.. sorry!)

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Capa Negra de Saudade

O Fadinho que me faz chorar... :')




Balada da despedida 5º ano jurídico Coimbra

Sentes que um tempo acabou
Primavera de flor adormecida
Qualquer coisa que não volta, que voou
Que foi um triunfar na tua vida

E levas em ti guardado
O choro de uma balada
Recordações do passado
O bater da velha cabra

Capa negra de saudade
No momento da partida
Segredos desta cidade
Levo comigo p'ra vida

Capa negra de saudade
No momento da partida
Segredos desta cidade
Levo comigo p'ra vida

Sabes que o desenho do adeus
É fogo que nos queima devagar
E no lento cerrar dos olhos teus
Fica esperança de um dia aqui voltar

E levas em ti guardado
O choro de uma balada
Recordações do passado
O bater da velha cabra

Capa negra de saudade
No momento da partida
Segredos desta cidade
Levo comigo p'ra vida

Capa negra de saudade
No momento da partida
Segredos desta cidade
Levo comigo p'ra vida


Cada vez que ouço isto fico arrepiada desdo couro cabeludo aos pés!!E la sai sempre uma lagrimazita (isto é um eufemismo, acreditem :x).. nem quero ver como vai ser na "minha" Serenata, a minha primeira serenata, a noite em que vou vestir orgulhosamente o meu traje, o traje de COIMBRA, a noite em que me vao traçar a capa... oh deus! (ja dizia o diogo)


Coimbra... SEMPRE!

Because change happens!

Hoje apercebi-me que a minha vida estava parada ah demasiado tempo, pensei que tinha de mudar alguma coisa na minha vida, neste tédio ansioso (à espera de dia 15) em que tenho vivido nos ultimos dias - salvo alguns momentos bons dos dias, que os tenho tido! ;)

Olhei para mim, olhei a minha volta... e decidi mudar o quarto!
Inicialmente era para arruma-lo apenas, mas aqui estou eu às 2h55 da manha cheia de dores de costas por ter andado aqui de um lado para o outro e o meu quarto continua desarrumado (mas também.. nao é facil nem rapido arrumar um ano de estudo, de preguiça, de experiencias, de desgostos, de alegrias, and so on!...) ... mas tá mudado!E sinto me bem com isso :)
Continua com o mesmo papel de parede horrivel que tem desde que nasci, continua com a alcatifa azul, continua com os cortinados pirosos nas janelas... mas tudo a seu tempo!!! Para ja, mudei umas quantas coisas de sitio.. está mais arejado, ligeiramente mais espaçoso (o que eu pensei ser impossivel) e pronto... a mudança foi boa! Gostei do resultado... ta mais acolhedorzinho :)

Precisava mesmo de mudar alguma coisa na minha vida para me sentir bem... porque nao começar pelo mais facil?! O que custa é começar ... ;)

E com isto ja sao 3h00!

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Porque tudo é efémero...

Uma pequena liçao de vida :)



Mais uma vez, nao estou a fazer publicidade!!!Mas nao tenho culpa que a Vodafone tenha publicidades giras :\

domingo, 30 de setembro de 2007

Post sobre o nada

Ora como vao poder confirmar, este post tal como o titulo indica é sobre o nada. E pensam voces: porque raio está esta miuda a escrever sobre o nada? Se o nada é nada.. o que é que ha para dizer acerca disso?! - E eu respondo: NADA!
Precisamente... Nao há nada para escrever sobre o nada (e qualquer semelhança com o Gato Fedorento é mera coincidencia, porque nao me pagam para andar a fazer publicidade), mas apeteceu-me escrever e estou vazia de ideias. Nao me ocorreu nada interessante para escrever, para além de mim claro.. mas isso ja se vai ver por este blog muitas vezes, nao vos queria enjoar para já, porque ainda o Blog é uma criança!
Entao pronto, é isto! Podia escrever sobre alguem especial, podia escrever sobre os amigos, podia escrever sobre os inimigos, podia escrever sobre o país, sobre a poluiçao e extinçao dos animaizinhos, podia escrever sobre a minha cadela (é isso... ainda hei de escrever sobre a minha Kiki) ... mas nao quis, prefiro guardar isso para um dia em que esteja fortemente inspirada, ou com um espirito determinantemente crítico.
Hoje estranhamente sinto-me em paz!Hoje nao me dói nada, estou bem disposta (mas nao exageradamente euforica), nao sinto raiva (ou qualquer coisa assim parecida) de ninguem, nao estou magoada, nao estou triste...nao nada! É estranho, mas hoje tou assim :)

Afinal parece que acabei a falar sobre mim .. -.- *sigh*

sábado, 29 de setembro de 2007

Livro de visitas :)

Moved

Parece que tive de mudar de "casa".
Nao tenho andado com muita vontade de escrever o que quer que seja, sobre mim ou sobre qualquer coisa mais interessante que a minha pessoa (que nao é assim muito difícil :P), nem sequer tenho andado com paciencia para este tipo de coisas. A verdade é que nao sei que raio de iluminaçao me assombrou aqui ha dias, que me apeteceu escrever algo interessante (ou nao) que entretanto já se me escapou, e qual nao foi o meu desgosto quando tentei postar no meu bloguezito e o patife nao me deixou. Deu uma especie de erro e agora nao consigo postar... Deve ter amuado comigo por nao lhe ligar ha tanto tempo, e decidiu nao me deixar postar. Sendo eu uma menina que tem por habito amuar bastante, nao gostei da imitaçao rasca do sr. blog.
Por estes e outros motivos (como a por exemplo a minha vida ja ter dado mais voltas que eu sei la, eu ter mudado, e outros etecéteras que nao me apetece enunciar aqui e agora), ja estava mais que na hora de virar a pagina e criar um blog novo (deixando o outro na mesma aberto, apenas para os momentos de nostalgia).

Nos proximos dias (ou secalhar nao tao proximos assim) hei de passar por este humilde lugar para deixar umas marquitas minhas, falar de mim se nao houver por ventura algo de conteudo mais interessante para postar (que é dificil de acontecer, visto que sou um bocadito egocentrica xD)

Meus amigos que (nao) estais a ler isto que praqui estou a escrever... com esta me vou! Até...